Pular para o conteúdo principal

Resenha- A Revolta De Atlas (Volume I)



 Confesso que quando comecei à ler o livro fiquei um pouco perdida, e foi até um pouco difícil me situar na historia; mas valeu a pena! O livro é polêmico por tratar de um tema bem complexo: o sistema político capitalista e o comunista. Mas a abordagem do livro é implícita (talvez seja por isto a minha dificuldade no inicio da história) e muito, muito, muito interessante.
 Alguns personagens que merecem destaque na história: Dagny Taggart, Hank Hearden, Francisco D'Anconia, James Taggart , e claro, John Galt.
 A  história é atemporal, então não é possível dizer um momento exato para o seu acontecimento. Mas a tecnologia é presente, e a palavra central da história é ferrovia .  Dagny e James são irmãos e dirigem a empresa herdada, que o avô Nat Taggart fundou, mas Dagny, apesar de todo o seu potencial possui uma posição "inferior" à sua capacidade na empresa; mas isto não a impede de ser extremamente eficiente na sua linha ferroviária. Em contrapartida, há seu irmão. Jim se mostra um verdadeiro "sanguessuga" das pessoas verdadeiramente capazes; mas não é apenas ele, varias outras personagens são assim. E é este o ponto de partida da autora.
 Uma coisa bem interessante no livro e que o leitor vai perceber já nas primeiras páginas é a presença da frase "Quem é John Galt?" e que se repete umas milhares de vezes no livro.  A frase aparentemente tão simples tem um significado, que até o primeiro momento, parece espontâneo e óbvio. Mas logo, será possível perceber o sustento do livro e como a frase se torna a base do desenrolar história. 
 As vezes a leitura vai se tonar um pouco complicada pela a complexidade dos textos que é na verdade, um profunda aula de filosofia. Sugiro que fiquem atento à todo instante e que não deixem passar nada despercebido, inclusive o nome das pessoas, são muitos e podem causar uma certa confusão (experiência própria). 
 Além da inteligência da história a escritora coloca um romance na história (quase no final) que sai do comum e esperado destes tipos de caso. Até neste ponto ela não deixou o "lado intelectual da coisa" desaparecer! O caso amoroso (que eu não vou contar de quem! haha) é fascinante de observar por pessoas que assim como eu, AMA filosofia (e por qualquer outra pessoa também, mas principalmente por estas..rs)!
 O desfecho do primeiro volume acaba criando ainda mais curiosidade  no leitor para a continuação da segunda parte: Dagny e Hank acabam encontram um "super motor" numa empresa falida e abandonada e querem à todo custo descobrir o seu inventor. O que não será fácil. E é fielmente trabalhado do volume II, que logo terá a resenha publicada aqui no blog! 

 Enfim, aconselho o livro para todos, pois é uma lição sobre empreendedorismo e a busca por desenvolvimento. Há também a filosofia que você pode tomar como um auxilio ou não, a escolha cabe ao leitor. Espero que não passem pela a confusão que passei, mas se passarem, sigam em frente, leiam com calma, releiam, e tente vencer este desafio. Espero que gostem da dica! Até a próxima!. 





Nascida e educada na Rússia, Rand emigrou para os Estados Unidos em 1926. Onde trabalhou como roteirista em Hollywood, e teve uma peça produzida na Broadway, no período de 1935 a 1936.
Foi escritora, dramaturga, roteirista e filósofa norte-americana de origem judaico-russa, mais conhecida por desenvolver um sistema filosófico chamado de Objetivismo, e por seus romances.
Sua filosofia e sua ficção enfatizam, sobretudo, suas noções de individualismo, autossustentação e capitalismo; preconizam o individualismo filosófico e a livre iniciativa econômica.
Ela ensinava:

  • Que o homem deve definir seus valores e decidir suas ações à luz da razão;
  • Que o indivíduo tem o direito de viver por amor a si próprio, sem ser obrigado a se sacrificar pelos outros e sem esperar que os outros se sacrifiquem por ele;
  • Que ninguém tem o direito de usar força física para tomar dos outros o que lhes é valioso ou de impor suas ideias sobre os outros.
Ayn Rand veio do nada para combater um mundo corrupto e coletivista. Ela defendeu obstinadamente suas crenças, afirmando o imperativo moral da liberdade e demonstrando que tudo é possível.  



Postagens mais visitadas deste blog

Melhores Séries, Trilogias e Sagas

As séries andam fazendo grande sucesso na literatura; podemos passar horas viajando neste mundo, assistindo as adaptações, e descobrindo as novidades! O grande diferencial das sagas é a sequencia, e por isto acabamos nos envolvendo de forma mais intensa,ficamos loucos pelos os laçamentos e passamos à ficar procurando por novas sagas!
Então o Mosaico de Livros separa aqui para vocês algumas das séries que andam tendo reconhecimento estrondoso entre os leitores. Neste clima de ferias escolha a sua, pegue os óculos, uma xícara de café e se aconchegue no sofá!



1- A Mediadora
A mediadora, escrito por nossa adorada Meg Cabot escritora da série de livros O Diário da Princesa.
Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos eles então é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente nova-iorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe: ela conversa com mortos. Suzann…

Primavera

Então a primavera chegou abra as janelas e deixe que ela entre, sinta o aroma das flores que percorre o ar, se deleite com as cores vivas das pétalas que apenas a primavera pode proporcionar. Este breve instante da natureza  nos faz apaixonar pela vida, seja bem vida primavera, traga seu encanto e beleza.
Estamos muito felizes e empolgadas com esta estação magica, somos apreciadoras do desabrochar das flores, para celebrar a estação vamos sugerir livros, para ler, apreciar e curtir durante esses dias floridos, sugerimos que antes de ler a postagem assistam este vídeo a primavera de Vivaldi, para entrarem no clima. 

Primavera de Vivaldi 



Ola! Leitores do Mosaico, como foi dito anteriormente vamos indicar alguns livros para lerem nesta estação, eu Thais vou indicar os cinco livros a baixo e a Mariana os próximos cinco, pois esta é uma postagem em conjunto acho que já percebem que fazemos postagens em conjunto de vez em quando. Então minha proposta de leitura é algo leve e romântico, são liv…

William Shakespeare

Um gênio da literatura, mundialmente conhecido, um dos escritores mais famoso do mundo e o mais apaixonado, criador dos mais belos sonetos da língua inglesa, desde pequenos ouvimos falar sobre ele, em filmes, livros, revistas e jornais, nos encantamos por suas obras, são fascinantes simplesmente apaixonantes. Eu realmente gostaria de saber se William de fato amou alguém como ele descreve, poderia um homem amar desta forma? Ainda não sei essa resposta talvez nunca saberei, mas sei que vou acreditar ser possível, pois as obras de William são compostas com uma profunda paixão da qual nunca vi em outro escritor, William ainda dá preciosos conselhos para a vida em outras obras.
O que mais posso dizer sobre este escritor genial que conquistou o mundo com suas obras poéticas e apaixonadas, sou grande fã dele assim como a Jane Austen, Sigmund Freud, Goethe e o brasileiro Machado de Assis.

Biografia resumida e obras 

Shakespeare é considerado um dos mais importantes dramaturgos e escritores de to…

Resenha - The Kiss of Deception

As crônicas de amor e ódio, é um dos melhores livros de fantasia que eu li recentemente, a história me surpreendeu bastante, para ser sincera eu esperava apenas um romance modesto, no entanto o livro é além disso, além da fantasia temos muita aventura, ação e um romance que te deixara apaixonado pelos personagens.
Pode-se levar anos para moldar um sonho, mas é preciso apenas um segundo para despedaçá-lo."
A autora Mary E. Pearson me ganhou por utilizar elementos previsíveis para criar uma trama inteligente, mágica, cheia de manipulações políticas e focada no amadurecimento de seus protagonistas. Fazia tempo que não lia algo tão grandioso e apaixonante.
 Eu sabia que o livro se passa em um ambiente medieval e  indicado para fãs de Game Of Thrones estava esperando uma narrativa mais histórica e romântica. Mas, para minha surpresa, esse livro trouxe um equilíbrio entre esses dois gêneros de forma arrebatadora. "Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a pro…

Resenha - A Fúria e a Aurora

Sobre este livro posso dizer apenas que fiquei encantada pela leitura, a escrita te prende de certa forma, pois esta é a intensão da autora Renée Ahdieh, cativar o leitores com mistérios e instigar através de uma personagem corajosa e destemida, que se laça em uma fúria desesperada, para suprir seu desejo de vingança. A Fúria e a Aurora é um retelling do clássico As Mil e Uma Noites, com uma pitadinha extra de magia e muito, mas muito romance. É um exemplo muito bom de como um retelling deve ser: manter as características originais da narrativa, mas dar um toque especial que envolve o leitor ainda mais. A leitura é  instigante, pois as cenas são descritas com esmero, no intuito de transporta-lo diretamente para as arabias e vivenciar  o conto das mil e uma noites, aos poucos segredos vão sendo revelados, intensões e sentimentos são descobertos, mas nunca o tão esperado motivo pelo qual o rei mata suas esposas ao surgir da aurora.
O segredo de um bom escritor é ser um bom contador de h…