Pular para o conteúdo principal

Resenha - Anjos e Demônios - Dan Brown




Este é um livro que veio um pouco antes do adorável "O Código da Vinci". E é aqui que o personagem Langdon ganha a sua primeira fama.

Langdon é chamado às pressas para analisar um misterioso símbolo marcado a fogo no corpo de um físico assassinado no maior centro de pesquisa na Suíça. A assinatura macabra no corpo deste homem é um ambigrama simbolo dos Illuminati - uma poderosa fraternidade considerada extinta há quatrocentos anos - que pode ser lida tanto de cabeça para cima quanto de cabeça para baixo. 

Mas a parte mais assustadora ainda vem pela a frente: o assassino mantem sobre sua posse uma nova arma devastadora, roubada do centro de pesquisas; é a 'antimatéria', uma poderosa fonte de energia que com apenas uma gota é capaz abastecer a cidade de Nova Iorque durante um dia inteiro. E o pior... ele ameaça explodir a Cidade do Vaticano. 

Contra o tempo, Langdon, juntamente com Vittoria Vetra, uma bela cientista italiana (e filha do físico assassinado) entra numa intensa caçada onde os dois desvendarão enigmas e conseguirão seguir uma trilha que pode levar ao covil dos Illuminati - um refúgio secreto onde está a única esperança de salvação da Igreja nesta guerra entre ciência e religião.

E adivinhem! Tem romance na história! Ahh Dan Brown!!! Por quê faz isto conosco? kkkkkk

Em 'Anjos e Demônios' o escritor prova mais uma vez sua incrível capacidade de entremear suspense com fascinantes informações sobre ciência, religião e história da arte. Alem de despertar a curiosidade dos leitores para os significados ocultos deixados em monumentos e documentos históricos. 







Dan Brown nasceu no dia 22 de junho de 1964, nos Estados Unidos. Ficou reconhecido internacionalmente pela obra O Código Da Vinci, que vendeu mais de 80 milhões de exemplares em todo o mundo é considerado o livro mais vendido de todos os tempos. Graças a essa obra, Dan Brown pode se orgulhar de ter colocado seus quatro primeiros livros simultaneamente na lista dos mais vendidos do The New York Times.

Postagens mais visitadas deste blog

Melhores Séries, Trilogias e Sagas

As séries andam fazendo grande sucesso na literatura; podemos passar horas viajando neste mundo, assistindo as adaptações, e descobrindo as novidades! O grande diferencial das sagas é a sequencia, e por isto acabamos nos envolvendo de forma mais intensa,ficamos loucos pelos os laçamentos e passamos à ficar procurando por novas sagas!
Então o Mosaico de Livros separa aqui para vocês algumas das séries que andam tendo reconhecimento estrondoso entre os leitores. Neste clima de ferias escolha a sua, pegue os óculos, uma xícara de café e se aconchegue no sofá!



1- A Mediadora
A mediadora, escrito por nossa adorada Meg Cabot escritora da série de livros O Diário da Princesa.
Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos eles então é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente nova-iorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe: ela conversa com mortos. Suzann…

Resenha- Os Miseráveis

Jean Valjean chega à cidade francesa de Digne. É um ex preso, que foi forçado por dezenove anos à um trabalho forçado por ter roubando um pão para alimentar sua família. Após tentativas fracassadas de procurar alguma hospedaria para se abrigar naquela França preconceituosa (Valjean é expulso até mesmo de uma casa de cachorro) desiste de procurar algum lugar e decide repousar numa praça; acontece algo espetacular. 
 Alguém lhe indica uma casinha onde poderia passar a noite; a casa do bispo Benvindo.
 O bispo é o amor em pessoa; recebe-o agradavelmente e com muita honra; após se alimentarem e conversarem um pouco foram repousar. Benvindo o convida para o café da manha e Valjean se encanta com tanta bondade, depois de ser tao humilhado na cidade, o infeliz se surpreende com a atitude do bispo, que nãodemonstrou nenhuma atitude de medo ou uma atitude maldosa, mas de apenas compaixão e amor.
 Porém, mesmo após ter recebido uma atitude tão nobre, Jean faz um ato vergonhoso com quem lhe trato…

Resenha - Como Vejo o Mundo

Eu não tenho palavras para Albert Einstein. A leitura de fácil compreensão e as ideologias propostas conseguem deixar qualquer um empolgado com o livro.  Reconhecido por seu pacifismo e preocupação com o bem comum, neste livro Einstein oferece uma profunda reflexão sobre a nossa própria existencia.   Mas como evidências valem mais que opniões; eu trouxe aqui um trecho do livro que achei bem curios: o seu ponto de vista sobre a riqueza.  "Todas as riquezas do mundo, ainda mesmo nas mãos de um homem inteiramente devotado à ideia do progresso, jamais trarão o menor desenvolvimento moral para a humanidade. Somente seres humanos excepcionais e irrepreensíveis suscitam idéias generosas e ações elevadas. Mas o dinheiro polui tudo e degrada sem piedade a pessoa humana. Não posso comparar a generosidade de um Moisés, de um Jesus ou de um Gandhi com a generosidade de uma Fundação Carnegie qualquer."
COMO NÃO CONTINUAR LENDO?!  Ele faz também referência às religiões. Uma refêrencia que se …