Pular para o conteúdo principal

Resenha - O Código da Vinci






Dan Brown





Este foi o primeiro livro que eu li do escritor, mas já sabia sobre tal autor e suas obras. Confesso que fiquei toda empolgada pra começar à ler um livro tão famoso. E eu tinha todo o direito. A história é mesmo incrível. Não é por acaso a sua popularidade!
 Bem, começa com um assassinato dentro do museu mais famosos do mundo- o Louvre - a morte é do próprio curador do lugar, Jacques Saunière, que antes de morrer conseguiu deixar um mensagem cifrada na cena do crime ( em seu próprio corpo!!!). E é ai que surge o protagonista da história. 
 Robert Langdon é um famoso simbologista de Harvard que, junto com a criptógrafa francesa Sophie Neveu ( neta de Saunière)  tenta desvendar a misteriosa mensagem. Mas logo acabam se tornando suspeitos do crime; porém, não deixam de se aventurarem nas ruas de Paris buscando o significado da mensagem. 
 O que vão descobrindo é assustador e devastador ao mesmo tempo. O segredo envolve a igreja católica e grandes personalidades da ciência e da arte já presentes aqui na Terra. Vários contos e fatos bíblicos são expostos no livro; Jesus Cristo e Madalena são figuras importantíssimas no enredo. A riqueza de detalhes é constantemente presente; o que faz com que prestemos ainda mais atenção no livro.
 Robert e Sophie vão à procura de pistas ocultas nas obras de Da Vinci  e se deparam sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental - da natureza do sorriso da Mona Lisa ao significado do Santo Graal. E o pior, Brown consegue segurar o segredo até o final! (pura maldade com seus leitores).
 A relação entre as obras de arte, documentos e rituais secretos torna essa história de suspense uma coisa irresistível. Além de todo o mistério, suspense, e inteligencia presente no livro. O escritor nos presenteia com um romance em meio ao caos; que só o próprio Robert dirá se é possível ou não.
 É, sem duvidas, um livro muito interessante; e pode ser indicado para todos os gostos literários. Vou deixar um trecho pra vocês já se prepararem: 





FATOS

O Priorado de Sião - sociedade secreta européia fundada em 1099 - existe de fato. Em 1975, a Biblioteca Nacional de Paris descobriu pergaminhos conhecidos como Os Dossiês Secretos, que identificavam inúmeros membros do Priorado de Sião, inclusive Sir Isaac Newton, Botticelli, Victor Hugo e Leonardo da Vinci.

A prelazia do Vaticano conhecida como Opus Dei é uma organização católica profundamente conservadora, que vem sendo objeto de controvérsias recentes, devido a relatos de lavagem cerebral, coerção e uma prática perigosa conhecida como 'mortificação corporal'. A Opus Dei acabou de completar a construção de uma Sede Nacional em Nova York, ao custo de aproximadamente 47 milhões de dólares. 

Todas as descrições de obras de arte, arquitetura, documentos e rituais secretos neste romance correspondem rigorosamente à realidade.

PRÓLOGO

Museu do Louvre, Paris 22:46

O renomado curador Jacques Saunière percorreu cambaleante a arcada abobadada da Grande Galeria do museu. Lançou-se de encontro à pintura mais próxima que enxergou, um Caravaggio. Agarrando a moldura dourada, o homem de 66 anos puxou a obra-prima para si até despencar para trás, arrancando o quadro da parede e caindo de qualquer jeito por baixo da tela.

Como havia previsto, um portão de ferro desceu, com grande estrondo, ali perto, lacrando a entrada do conjunto de salas do gabinete. O assoalho de parquê tremeu. Bem distante, um alarme começou a soar.

O curador ficou ali deitado um instante, arquejante, avaliando a situação. Ainda estou vivo. Rastejando, saiu de baixo do quadro e esquadrinhou o ambiente cavernoso, procurando onde se esconder.

Uma gélida voz soou, assustadoramente próxima.

- Não se mexa.

De quatro, o diretor paralisou-se, virando a cabeça devagar.

A apenas cinco metros, diante do portão lacrado, a silhueta monstruosa de seu atacante espreitava-o por entre as barras de ferro. Era espadaúdo e alto, pele branca como a de um fantasma e cabelos também brancos e ralos. As íris eram rosadas, com pupilas vermelho-escuras. O albino sacou uma pistola do casaco e, passando o cano entre as barras, apontou-a diretamente para o diretor.

- Não devia ter fugido. - O sotaque dele era indefinível. 

- Agora me diga onde está.

- Eu já lhe disse - gaguejou o diretor, ajoelhado e indefeso no chão da galeria. - Não faço a menor idéia do que está falando!

- Mentira sua. - O homem estava perfeitamente imóvel, a não ser pelo brilho de seus olhos fantasmagóricos, cravados em Saunière. - Você e sua fraternidade possuem uma coisa que não lhes pertence.

O curador sentiu uma torrente de adrenalina na circulação. Como era possível que ele soubesse disso?

- Esta noite ela voltará para as mãos dos guardiães corretos. Diga-me onde está escondida, que pouparei sua vida. - O homem ergueu a arma até a altura da cabeça do curador. - É um segredo pelo qual o senhor morreria?

Saunière não conseguia respirar.

O homem inclinou a cabeça, fazendo mira.

Saunière levantou as mãos.

- Espere - disse, devagar. - Vou lhe contar o que precisa saber. 

- O curador pronunciou as palavras seguintes com imenso cuidado. Havia ensaiado várias vezes a mentira que contou... rezando a cada vez para jamais ser obrigado a utilizá-la.

Quando o curador terminou de falar, o atacante sorriu, pretensioso. 

- Sim. Foi exatamente isso o que os outros me disseram.

Saunière encolheu-se. Os outros?

- Eu também os encontrei - disse o gigante, sarcástico. 

- Todos os três confirmaram o que acabou de me dizer.




Não pode ser! A verdadeira identidade do curador, assim como as de seus três guardiães, era quase tão sagrada quanto o segredo antiqüíssimo que eles protegiam. Saunière agora percebia que seus guardiães, seguindo à risca os procedimentos, haviam contado a mesma mentira antes de morrerem. Fazia parte do protocolo.

O atacante tornou a mirar.

- Quando o senhor tiver morrido, eu serei o único a saber a verdade.

A verdade. Em um instante, o curador percebeu o verdadeiro horror da situação. Se eu morrer, a verdade se perderá para sempre. Instintivamente, procurou se proteger, desajeitado.

A arma explodiu, o diretor sentiu um calor escaldante quando a bala se alojou em seu estômago. Caiu para a frente... lutando contra a dor. Vagarosamente rolou de barriga para cima e lançou um olhar vidrado ao seu atacante, do outro lado das barras.

O homem agora estava mirando direto a cabeça de Saunière.

Saunière fechou os olhos, os pensamentos transformados em uma rodopiante tempestade de medo e arrependimento.

O estalido de uma arma sem munição ecoou pelo corredor.

Os olhos do diretor se abriram.

O homem olhou de relance para a arma, parecendo quase achar graça. Pegou mais um pente, mas depois reconsiderou, olhando com um sorriso calmo para o sofrimento de Saunière.

- Já cumpri meu dever aqui.

O diretor olhou para baixo e viu o buraco de bala na camisa de linho branco, rodeado por um pequeno círculo de sangue alguns centímetros abaixo do esterno. Meu estômago. Quase cruelmente, a bala havia deixado de lhe atravessar o coração. Por ser veterano da Guerra da Argélia, o diretor havia presenciado mortes horrivelmente lentas antes. Durante 15 minutos, ele sobreviveria, enquanto os ácidos do estômago lhe penetravam a cavidade peitoral, envenenando-o lentamente por dentro.

- A dor é boa, monsieur - disse o homem.

Depois se foi. 

Sozinho, Jacques Saunière voltou outra vez o olhar para o portão de ferro. Estava preso, e as portas não se reabririam em menos de 20 minutos. Quando alguém conseguisse alcançá-lo, ele já estaria morto. Mesmo assim, o medo que agora o assaltava era muito maior do que o da sua morte.

Preciso passar o segredo adiante.

Oscilando, pôs-se de pé e lembrou-se dos três membros assassinados da Fraternidade. Pensou nas gerações que vieram antes deles... na missão que havia sido confiada a todos.

Uma cadeia ininterrupta de conhecimento.

De repente, agora, apesar de todas as precauções... apesar de todos os dispositivos à prova de falhas... Jacques Saunière era o único elo que restava, o único guardião de um dos mais poderosos segredos jamais guardados.

Tremendo, obrigou-se a ficar de pé.

Preciso encontrar uma maneira...

Estava preso dentro da Grande Galeria, e só havia uma pessoa no mundo a quem ele podia passar o bastão. Saunière ergueu o olhar para as paredes de sua opulenta cela. As mais famosas telas do mundo pareciam sorrir para ele, como velhas amigas.

Gemendo de dor, concentrou todas as suas faculdades e todas as suas forças. A fenomenal tarefa que tinha diante de si, sabia, iria exigir todos os segundos de vida que lhe restavam.







... e ai, vale a pena ou não?
até a próxima....

Postagens mais visitadas deste blog

Melhores Séries, Trilogias e Sagas

As séries andam fazendo grande sucesso na literatura; podemos passar horas viajando neste mundo, assistindo as adaptações, e descobrindo as novidades! O grande diferencial das sagas é a sequencia, e por isto acabamos nos envolvendo de forma mais intensa,ficamos loucos pelos os laçamentos e passamos à ficar procurando por novas sagas!
Então o Mosaico de Livros separa aqui para vocês algumas das séries que andam tendo reconhecimento estrondoso entre os leitores. Neste clima de ferias escolha a sua, pegue os óculos, uma xícara de café e se aconchegue no sofá!



1- A Mediadora
A mediadora, escrito por nossa adorada Meg Cabot escritora da série de livros O Diário da Princesa.
Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos eles então é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente nova-iorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe: ela conversa com mortos. Suzann…

Primavera

Então a primavera chegou abra as janelas e deixe que ela entre, sinta o aroma das flores que percorre o ar, se deleite com as cores vivas das pétalas que apenas a primavera pode proporcionar. Este breve instante da natureza  nos faz apaixonar pela vida, seja bem vida primavera, traga seu encanto e beleza.
Estamos muito felizes e empolgadas com esta estação magica, somos apreciadoras do desabrochar das flores, para celebrar a estação vamos sugerir livros, para ler, apreciar e curtir durante esses dias floridos, sugerimos que antes de ler a postagem assistam este vídeo a primavera de Vivaldi, para entrarem no clima. 

Primavera de Vivaldi 



Ola! Leitores do Mosaico, como foi dito anteriormente vamos indicar alguns livros para lerem nesta estação, eu Thais vou indicar os cinco livros a baixo e a Mariana os próximos cinco, pois esta é uma postagem em conjunto acho que já percebem que fazemos postagens em conjunto de vez em quando. Então minha proposta de leitura é algo leve e romântico, são liv…

William Shakespeare

Um gênio da literatura, mundialmente conhecido, um dos escritores mais famoso do mundo e o mais apaixonado, criador dos mais belos sonetos da língua inglesa, desde pequenos ouvimos falar sobre ele, em filmes, livros, revistas e jornais, nos encantamos por suas obras, são fascinantes simplesmente apaixonantes. Eu realmente gostaria de saber se William de fato amou alguém como ele descreve, poderia um homem amar desta forma? Ainda não sei essa resposta talvez nunca saberei, mas sei que vou acreditar ser possível, pois as obras de William são compostas com uma profunda paixão da qual nunca vi em outro escritor, William ainda dá preciosos conselhos para a vida em outras obras.
O que mais posso dizer sobre este escritor genial que conquistou o mundo com suas obras poéticas e apaixonadas, sou grande fã dele assim como a Jane Austen, Sigmund Freud, Goethe e o brasileiro Machado de Assis.

Biografia resumida e obras 

Shakespeare é considerado um dos mais importantes dramaturgos e escritores de to…

Resenha - The Kiss of Deception

As crônicas de amor e ódio, é um dos melhores livros de fantasia que eu li recentemente, a história me surpreendeu bastante, para ser sincera eu esperava apenas um romance modesto, no entanto o livro é além disso, além da fantasia temos muita aventura, ação e um romance que te deixara apaixonado pelos personagens.
Pode-se levar anos para moldar um sonho, mas é preciso apenas um segundo para despedaçá-lo."
A autora Mary E. Pearson me ganhou por utilizar elementos previsíveis para criar uma trama inteligente, mágica, cheia de manipulações políticas e focada no amadurecimento de seus protagonistas. Fazia tempo que não lia algo tão grandioso e apaixonante.
 Eu sabia que o livro se passa em um ambiente medieval e  indicado para fãs de Game Of Thrones estava esperando uma narrativa mais histórica e romântica. Mas, para minha surpresa, esse livro trouxe um equilíbrio entre esses dois gêneros de forma arrebatadora. "Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a pro…

Resenha - A Fúria e a Aurora

Sobre este livro posso dizer apenas que fiquei encantada pela leitura, a escrita te prende de certa forma, pois esta é a intensão da autora Renée Ahdieh, cativar o leitores com mistérios e instigar através de uma personagem corajosa e destemida, que se laça em uma fúria desesperada, para suprir seu desejo de vingança. A Fúria e a Aurora é um retelling do clássico As Mil e Uma Noites, com uma pitadinha extra de magia e muito, mas muito romance. É um exemplo muito bom de como um retelling deve ser: manter as características originais da narrativa, mas dar um toque especial que envolve o leitor ainda mais. A leitura é  instigante, pois as cenas são descritas com esmero, no intuito de transporta-lo diretamente para as arabias e vivenciar  o conto das mil e uma noites, aos poucos segredos vão sendo revelados, intensões e sentimentos são descobertos, mas nunca o tão esperado motivo pelo qual o rei mata suas esposas ao surgir da aurora.
O segredo de um bom escritor é ser um bom contador de h…