Pular para o conteúdo principal

Resenha - Ligeiramente casados

Olá pessoal! Hoje vou fazer a resenha de um romance histórica, pelo resumo do livro eu gostei e quando eu li  o livro adorei.
O Livro começa com a jovem Eve colhendo flores do campo, em sua propriedade rural Ringwood. Ela Administra sozinha Ringwood, pois seu pai havia morrido e seu irmão estava na guerra, perdida em pensamento de como seria seu futuro, pois o pai dela havia imposto uma condição, ela deveria se casar antes do aniversario de morte de seu pai. De acordo com o testamento se ela não se casa-se ela seria despejada da fazenda com todas as pessoas que dependiam dela incluindo duas crianças que ela havia adotado. Faltavam apenas quatro dias para o prazo final, então mordomo de Eve diz que há um homem vestido com o uniforme militar esperando por ela em casa, sem pensar duas vezes Eve sai correndo com a esperança de encontrar seu amando irmão porém se depara com lorde Aidan Bedwyn, um coronel honrado.
Aidan estava lá para informar a morte do irmão de Eve o capitão Percival Morris. Antes de morrer Percival havia pedido para Aidan comunicar sua morte a sua irmã e para protegê-la a qualquer custo.
Aidan fica a par do testamento no qual deixará Eve desamparada, então ele propõem se casar com ela por conveniência e depois cada um seguiria seus caminhos, ele voltaria para a guerra e ela ficaria em sua fazenda.
No entanto o Duque de Bewcastle fica sabendo do casamento de seu irmão mais novo, o Duque exige que sua cunhada seja apresentada a sociedade e a rainha. Então Eve vai para a Inglaterra e passa algumas semanas ao lado de Aidan, o que faz os dois cada vez mais próximos, Eve conhece melhor o Lorde Aidan Bedwyn, sua personalidade arrogante aristocrata, no entanto ela consegue enxergar a bondade por baixo de sua personalidade prepotente.   

Fagulhas de uma paixão surgem entre eles, então ambos percebem o lado bom de estarem ligeiramente casados. No entanto eles não cedem tão facilmente ao amor que nasceu entre eles.
É uma delicia ler esse livro, a narrativa é leve, não há banalidade na expressão dos sentimento. A autora nos transporta para a Inglaterra no século 19, o romance é morno, há um turbilhão de sentimentos que envolvem o casal como as perspectivas do futuro, os receios e as angustias. A autora nos mostra a face mais bela do romance no final do livro quando Aidan admite seu amor por Eve.


Postagens mais visitadas deste blog

Melhores Séries, Trilogias e Sagas

As séries andam fazendo grande sucesso na literatura; podemos passar horas viajando neste mundo, assistindo as adaptações, e descobrindo as novidades! O grande diferencial das sagas é a sequencia, e por isto acabamos nos envolvendo de forma mais intensa,ficamos loucos pelos os laçamentos e passamos à ficar procurando por novas sagas!
Então o Mosaico de Livros separa aqui para vocês algumas das séries que andam tendo reconhecimento estrondoso entre os leitores. Neste clima de ferias escolha a sua, pegue os óculos, uma xícara de café e se aconchegue no sofá!



1- A Mediadora
A mediadora, escrito por nossa adorada Meg Cabot escritora da série de livros O Diário da Princesa.
Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos eles então é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente nova-iorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe: ela conversa com mortos. Suzann…

Resenha- Os Miseráveis

Jean Valjean chega à cidade francesa de Digne. É um ex preso, que foi forçado por dezenove anos à um trabalho forçado por ter roubando um pão para alimentar sua família. Após tentativas fracassadas de procurar alguma hospedaria para se abrigar naquela França preconceituosa (Valjean é expulso até mesmo de uma casa de cachorro) desiste de procurar algum lugar e decide repousar numa praça; acontece algo espetacular. 
 Alguém lhe indica uma casinha onde poderia passar a noite; a casa do bispo Benvindo.
 O bispo é o amor em pessoa; recebe-o agradavelmente e com muita honra; após se alimentarem e conversarem um pouco foram repousar. Benvindo o convida para o café da manha e Valjean se encanta com tanta bondade, depois de ser tao humilhado na cidade, o infeliz se surpreende com a atitude do bispo, que nãodemonstrou nenhuma atitude de medo ou uma atitude maldosa, mas de apenas compaixão e amor.
 Porém, mesmo após ter recebido uma atitude tão nobre, Jean faz um ato vergonhoso com quem lhe trato…

Resenha - Como Vejo o Mundo

Eu não tenho palavras para Albert Einstein. A leitura de fácil compreensão e as ideologias propostas conseguem deixar qualquer um empolgado com o livro.  Reconhecido por seu pacifismo e preocupação com o bem comum, neste livro Einstein oferece uma profunda reflexão sobre a nossa própria existencia.   Mas como evidências valem mais que opniões; eu trouxe aqui um trecho do livro que achei bem curios: o seu ponto de vista sobre a riqueza.  "Todas as riquezas do mundo, ainda mesmo nas mãos de um homem inteiramente devotado à ideia do progresso, jamais trarão o menor desenvolvimento moral para a humanidade. Somente seres humanos excepcionais e irrepreensíveis suscitam idéias generosas e ações elevadas. Mas o dinheiro polui tudo e degrada sem piedade a pessoa humana. Não posso comparar a generosidade de um Moisés, de um Jesus ou de um Gandhi com a generosidade de uma Fundação Carnegie qualquer."
COMO NÃO CONTINUAR LENDO?!  Ele faz também referência às religiões. Uma refêrencia que se …