Pular para o conteúdo principal

Resenha- Reengenharia Pessoal

Sempre gostei de livros de autoajuda; vejo-os não apenas para momentos difíceis, mas amigos de
todas as horas. Trabalham seu estado emocional e melhora o espírito, te mostram que o ser humano pode sim viver bem e feliz! Merecem sempre serem lidos.  E é claro que “reengenharia pessoal” não é menos que isso, na verdade ultrapassa o limite de “um bom livro” e torna-se aquele de cabeceira, ele te propõe uma profunda reflexão sobre si mesmo. Vou destacar dois aspectos aos quais eu me maravilhei e achei importante.
Primeiramente, o conteúdo. O foco do autor é o ser humano; o “eu”.  Sabe aquela parte da sociologia que fala da influência do ser humano para com a sociedade, e vice-versa? Pois é, o escritor afirma determinadamente que a mudança ocorre do interior para o exterior, ou seja, é preciso que o homem mude para que aconteça o mesmo com a sociedade. Esta é a filosofia de Inocenti
 E isto é muito importante para a ideologia que ele trata. Segundo ele , o século XXI é o tempo da liberdade e da transformação. As pessoas podem escolher o que querem ser, bastam ter “garra”. Você pode ser Stephen King ou Neymar, Van goghou Barack Obama. Você pode ser o que quiser! Escolha com quem deseja se relacionar, viver, e amar; escolha para onde deseja sair sábado de noite ou domingo de manhã; fim, o modo como deseja viver. A escolha está em desde a profissão até coisas banais, como o que comer quarta de madrugada.
 Além disso, para ele também é o tempo de profundas mudanças. Coisas e pessoas transformam-se todo instante, se ontem era de tal forma, hoje, o inverso. Leis mudam, ativistas revolucionam, pais mudam seu modo de educar; professores, de ensinar.
 Estas duas ideias são as bases de seu livro: a transformação e a liberdade se relacionam intimamente.  Por tudo citado acima, e o restante apresentado no livro é preciso que nós descubramos a nós mesmos; e conquistemos cada vez mais consciência de nossas escolhas, para procurar sempre as melhores alternativas; assim, por consequência, faremos da Terra um lugar digno de ser habitado por todos e tudo.
O livro procura da melhor forma mostrar ao leitor a sua importância para que o mundo se torna um lugar melhor. Só com o “eu” do homem, o mundo poderá ser de fato, verdadeiramente melhor; e obviamente, todos os terráqueos.
Agora, vamos falar sobre como a estrutura do conteúdo, que é o segundo ponto.
 O livro é totalmente dinâmico e muito divertido de ser lido. Se o autor fala do caos e agitação deste novo milênio, a estética de sua produção é a prova final.
É formada por três partes: o texto (bem pequeno) que abrange de forma breve o que foi proposto no título, mas você consegue muito bem compreender o que o escritor quer passar. Há também o pensamento reflexivo, que retoma o que o texto propôs e que de fato, te faz parar para refletir suas atitudes. E temos uma frase que também retoma a ideia principal. E para fechar, um desenho super interativo e inusitado (uma ideia que aprovei muito).
 Mas esta ordem (texto, reflexão, e frase) não é seguida pelo o escritor. Muito pelo o contrário, é comum você encontrar uma dica seguindo esse ritmo, e quando vira a página, encontrar tudo invertido: a frase primeira e logo depois a reflexão; e em outro a reflexão primeiramente. Não há como a leitura ficar entediante! Cada página é algo inesperado.
 Ele foge de textos longos e cansativos; o que fez muito bem. E quando você toma consciência, já leu 60 páginas sem notar. Porém, não é muito divulgado, e talvez você encontre dificuldades para encontrar o livro deste gaúcho.
Paulo Inocenti
 É um ótimo livro para as manhãs, tardes e noites; antes de ir ao trabalho, escola, igreja ou festa. Deve ser lido todos os dias, e sempre que sentir necessidade. Recomendo para os que lutam pelo um mundo melhor, seja interior ou exterior; para os que querem se conhecer e transformarem-se para melhor; para os que têm sonhos e metas; e para os que amam a vida!





Postagens mais visitadas deste blog

Melhores Séries, Trilogias e Sagas

As séries andam fazendo grande sucesso na literatura; podemos passar horas viajando neste mundo, assistindo as adaptações, e descobrindo as novidades! O grande diferencial das sagas é a sequencia, e por isto acabamos nos envolvendo de forma mais intensa,ficamos loucos pelos os laçamentos e passamos à ficar procurando por novas sagas!
Então o Mosaico de Livros separa aqui para vocês algumas das séries que andam tendo reconhecimento estrondoso entre os leitores. Neste clima de ferias escolha a sua, pegue os óculos, uma xícara de café e se aconchegue no sofá!



1- A Mediadora
A mediadora, escrito por nossa adorada Meg Cabot escritora da série de livros O Diário da Princesa.
Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos eles então é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente nova-iorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe: ela conversa com mortos. Suzann…

Resenha- Os Miseráveis

Jean Valjean chega à cidade francesa de Digne. É um ex preso, que foi forçado por dezenove anos à um trabalho forçado por ter roubando um pão para alimentar sua família. Após tentativas fracassadas de procurar alguma hospedaria para se abrigar naquela França preconceituosa (Valjean é expulso até mesmo de uma casa de cachorro) desiste de procurar algum lugar e decide repousar numa praça; acontece algo espetacular. 
 Alguém lhe indica uma casinha onde poderia passar a noite; a casa do bispo Benvindo.
 O bispo é o amor em pessoa; recebe-o agradavelmente e com muita honra; após se alimentarem e conversarem um pouco foram repousar. Benvindo o convida para o café da manha e Valjean se encanta com tanta bondade, depois de ser tao humilhado na cidade, o infeliz se surpreende com a atitude do bispo, que nãodemonstrou nenhuma atitude de medo ou uma atitude maldosa, mas de apenas compaixão e amor.
 Porém, mesmo após ter recebido uma atitude tão nobre, Jean faz um ato vergonhoso com quem lhe trato…

Resenha - Como Vejo o Mundo

Eu não tenho palavras para Albert Einstein. A leitura de fácil compreensão e as ideologias propostas conseguem deixar qualquer um empolgado com o livro.  Reconhecido por seu pacifismo e preocupação com o bem comum, neste livro Einstein oferece uma profunda reflexão sobre a nossa própria existencia.   Mas como evidências valem mais que opniões; eu trouxe aqui um trecho do livro que achei bem curios: o seu ponto de vista sobre a riqueza.  "Todas as riquezas do mundo, ainda mesmo nas mãos de um homem inteiramente devotado à ideia do progresso, jamais trarão o menor desenvolvimento moral para a humanidade. Somente seres humanos excepcionais e irrepreensíveis suscitam idéias generosas e ações elevadas. Mas o dinheiro polui tudo e degrada sem piedade a pessoa humana. Não posso comparar a generosidade de um Moisés, de um Jesus ou de um Gandhi com a generosidade de uma Fundação Carnegie qualquer."
COMO NÃO CONTINUAR LENDO?!  Ele faz também referência às religiões. Uma refêrencia que se …