Pular para o conteúdo principal

Carta ao tempo


Quem já assistiu "Beleza Oculta" com o Will Smith pode recordar das cartas ao amor, ao tempo e à morte. Por inspiração desse filme me foi pedido uma carta ao tempo, e eu fiz. Hoje, depois de alguns meses a reencontrei perdida em um lugar que não fazia jus à sua escrita, afinal, tudo o que representa o que o sentimento humano pode sentir deve ser exposto para almas nobres. Compartilho com vocês então um pouco do meu mundo infinito e apaixonado. Espero que gostem, e que possa escrever uma também! O tempo não espera!

Busquei tantas vezes te parar, te acelerar, te pausar; ignorância ou ingenuidade de minha parte? Logo com você, dono da verdade imutável, da paciência infinita. Hoje, não me prendo mais à você pelo desejo de controle, mas por um sonho íntimo de encontrar respostas.
A sua onipresença, faz ser dito por lugares cotidianos ideias a seu respeito; mas quantas delas são baseadas em uma reflexão de sabedoria e conhecimento? Ouço que você pode afastar seres amados, agredir traços do corpo, e destruir a matéria. E por isto te apedrejam. Ouço que você pode curar chagas, amenizar angústias, perdoar traições; e por isso te enaltecem. Tempo, o quanto isso está fundamentando na verdade? O quanto isso pode chegar perto do que penso? O quanto isso pode me ajudar a encontrar respostas para a vida?
Leio em livros, assisto em jornais “Como aproveitar melhor seu tempo”, mas como? Se  eu nem sei se à mim você pertence. Me aconselham a ter mais controle sobre você, será mesmo? Porque não sei se quem me aconselha tem a alegria de te ver passar nas tardes ensolaradas de domingo. Também dizem pra me te explorar, e novamente não sei se quem me induz sabe sonhos e tristezas daqueles que julgam amar.
Ouço tanto sobre você, tantas frases prontas e respostas formuladas e ainda não creio que tenha encontrado o que procurava; porque mesmo não sabendo o que tanto procuro, sei exatamente o que desprezo, e o padrão é um deles.
Falam muito de suas habilidades: criar, destruir, apagar, renovar, consertar... A de ensinar é a mais admirável. E eu bem sei que seus métodos não se remodelam diante do sol ou da chuva, diante da nevada ou da seca; ele é o que é. Não favorece ninguém, mesmo levando a calma aos corações dos justos e dos bons.
Até hoje, nesta minha curta experiência de vida, durante todos os dias você esteve presente; nas noites frias e madrugadas solitárias você sussurrava ‘não se preocupe, vai passar’, nos dias floridos e nas tardes quentes afirmava ‘aproveite, vai passar’.
E agora, não acho que seja o culpado das desgraças, nem o herói da história; você é você, sem utopia ou mentiras; mas sei que me ensinou o mais importante: no gabarito da existência não existe apenas uma opção certa, mas sim inúmeras possibilidades de acerto; e eu só tenho que escolher uma. E eu escolho a da ousadia, porque assim você me disse uma vez “o melhor tempo gasto é o que é aproveitado com a vida, e viver é ousar”.

 Um ótimo tempo para vocês, nas noites frias  e nas tardes quentes!

Postagens mais visitadas deste blog

Melhores Séries, Trilogias e Sagas

As séries andam fazendo grande sucesso na literatura; podemos passar horas viajando neste mundo, assistindo as adaptações, e descobrindo as novidades! O grande diferencial das sagas é a sequencia, e por isto acabamos nos envolvendo de forma mais intensa,ficamos loucos pelos os laçamentos e passamos à ficar procurando por novas sagas!
Então o Mosaico de Livros separa aqui para vocês algumas das séries que andam tendo reconhecimento estrondoso entre os leitores. Neste clima de ferias escolha a sua, pegue os óculos, uma xícara de café e se aconchegue no sofá!



1- A Mediadora
A mediadora, escrito por nossa adorada Meg Cabot escritora da série de livros O Diário da Princesa.
Falar com um fantasma pode ser assustador. Ter a habilidade de se comunicar com todos eles então é de arrepiar qualquer um. A jovem Suzannah seria uma adolescente nova-iorquina comum, com seu indefectível casaco de couro, botas de combate e humor cáustico, se não fosse por um pequeno detalhe: ela conversa com mortos. Suzann…

Resenha- Os Miseráveis

Jean Valjean chega à cidade francesa de Digne. É um ex preso, que foi forçado por dezenove anos à um trabalho forçado por ter roubando um pão para alimentar sua família. Após tentativas fracassadas de procurar alguma hospedaria para se abrigar naquela França preconceituosa (Valjean é expulso até mesmo de uma casa de cachorro) desiste de procurar algum lugar e decide repousar numa praça; acontece algo espetacular. 
 Alguém lhe indica uma casinha onde poderia passar a noite; a casa do bispo Benvindo.
 O bispo é o amor em pessoa; recebe-o agradavelmente e com muita honra; após se alimentarem e conversarem um pouco foram repousar. Benvindo o convida para o café da manha e Valjean se encanta com tanta bondade, depois de ser tao humilhado na cidade, o infeliz se surpreende com a atitude do bispo, que nãodemonstrou nenhuma atitude de medo ou uma atitude maldosa, mas de apenas compaixão e amor.
 Porém, mesmo após ter recebido uma atitude tão nobre, Jean faz um ato vergonhoso com quem lhe trato…

Resenha - Como Vejo o Mundo

Eu não tenho palavras para Albert Einstein. A leitura de fácil compreensão e as ideologias propostas conseguem deixar qualquer um empolgado com o livro.  Reconhecido por seu pacifismo e preocupação com o bem comum, neste livro Einstein oferece uma profunda reflexão sobre a nossa própria existencia.   Mas como evidências valem mais que opniões; eu trouxe aqui um trecho do livro que achei bem curios: o seu ponto de vista sobre a riqueza.  "Todas as riquezas do mundo, ainda mesmo nas mãos de um homem inteiramente devotado à ideia do progresso, jamais trarão o menor desenvolvimento moral para a humanidade. Somente seres humanos excepcionais e irrepreensíveis suscitam idéias generosas e ações elevadas. Mas o dinheiro polui tudo e degrada sem piedade a pessoa humana. Não posso comparar a generosidade de um Moisés, de um Jesus ou de um Gandhi com a generosidade de uma Fundação Carnegie qualquer."
COMO NÃO CONTINUAR LENDO?!  Ele faz também referência às religiões. Uma refêrencia que se …